Cine Potala

Não perca a oportunidade de assistir a filmes maravilhosos de todos os tempos, clássicos, épicos, bíblicos, verídicos; baseados em obras literárias ou na vida de grandes nomes da humanidadeVerifique abaixo o filme que o Instituto Cultural Potala exibe neste mês e garanta o seu lugar na plateia.

Cine Potala

Cine Potala

Filme do mês: "Zeitgeist - The Movie"

Exibição em 17 de março, a partir das 20h

Ingresso: 1 kg de alimento não-perecível

 

Como um documentário independente lançado online consegue mais público do que muitos blockbusters? Pois "Zeitgeist, o Filme", do norte-americano Peter Joseph, já teve 10 milhões de acessos desde quando foi lançado, em julho de 2007. O filme começa bem: história e astronomia puras, de mãos dadas, na tentativa de mostrar que Jesus Cristo teria sido uma invenção, digamos, da "mídia" romana para apascentar as massas.

Os suaves estertores dessa teoria começam devagar para tentar provar que Jesus Cristo, nas palavras de Peter Joseph, é um "híbrido", um antropomorfismo que englobou várias entidades solares, de outras culturas milenares. Todas nascidas a 25 de dezembro, todas filhas de virgens, todas com 12 discípulos, todas crucificadas e ressuscitadas após 72 horas de suas inumações.

Tido e havido como o filme online com mais espectadores em 2007, "Zeitgeist" (expressão em alemão que significa "espírito da época") é seccionado em três frentes: "The Greatest Story Ever Told" ("A maior história já contada") , "All the World's a Stage" ("O mundo inteiro é um palco"), frase de William Shakespeare, e "Don't Mind the Men Behind the Curtain" ("Não se preocupe com os homens atrás da cortina").

A primeira seção do vídeo é impecável, plangente e tira você do sério. Vejamos: desde 10000 a.C., entidades solares têm sido purpurinamente festejadas em várias culturas. O deus egípcio Hórus, por exemplo: nasceu a 3000 a.C., é um messias solar que luta contra o messias das trevas, Set, rei na noite. Hórus nasceu a 25 de dezembro, é filho de Isis-Meri, uma virgem. Quando nasceu, três reis seguiram as pegadas de sua aurora. Como Cristo, começou a pregar aos 12 anos de idade e foi batizado também aos 30 anos. Tifão (como Judas a Cristo) o traiu. Hórus foi crucificado e ressuscitou três dias depois. Na Frígia, temos outro caso: o messias Attis nasce a 25 de dezembro, da virgem Nana, e passa por martírio, traição e calvário como Cristo. Na Índia, em 900 a.C., Krishna nasceu da virgem Devaki, no mesmo dia de Cristo. Tudo igual, também, refere o filme, a Dionísio, na Grécia de 500 a.C., o mesmo também para Mittra, na Pérsia, renascido, depois de uma traição, a 25 de dezembro, só que em 1200 a.C.

O que nivela os destinos de tantos avatares, tão iguais em culturas tão díspares e tão distantes em seus tempos e latitudes?

"Zeitgeist" sustenta que, no hemisfério norte, a 22 de dezembro, o Sol encontra o seu ponto mais baixo, o solstício de inverno. A partir dessa data, por três dias, ele fica parado, morto. Volta a se mexer, isto é, renasce, somente a 25 de dezembro. No dia em que o astro atinge seu ponto mais baixo, você pode ver em cima dele o Cruzeiro do Sul, ou seja: o sol morreu na cruz. Em 25 de dezembro o sol volta a renascer e se alinha nos céus com a estrela mais brilhante na Terra nessa data, Sírius, que por sua vez está alinhada com as Três Marias.

O filme tenta dizer que essas coincidências astrológicas porfiaram por construir, em várias culturas, entidades solares, como Cristo, cujos apóstolos, por exemplo, nada mais representam que as 12 constelações pelas quais o sol passa durante 365 dias.

 

Título Original: "Zeitgeist - The Movie"

País de origem: Estados Unidos

Direção: Peter Joseph

Ano de lançamento: 2007

Gênero: Documentário

Duração: 118 minutos

Para garantir o seu lugar na plateia clique aqui