Oficina de Tear de Miçangas

Ho'oponopono

Temos muito a aprender com os povos indígenas, principalmente com seu caminho sagrado de vida, buscado uma conexão profunda com tudo que existe: com si mesmos, com sua a comida, com seus relacionamentos, com os elementos que os rodeiam e principalmente com a Mãe-Terra.

O povo Huni Kuin (ou Kaxinawá) vive em terras situadas no Brasil e no Peru. No Brasil, o território do povo Kaxinawá localiza-se no estado do Acre, nas regiões dos Vales do Purus e Juruá, enquanto que no Peru seu território está localizado a partir do rio Curanja.

O artesanato Huni Kuin é muito importante para a Aldeia, seja no sustento familiar e também na conservação das tradições ancestrais.  Em cada arte existe a “impressão” dos Kenes, que possuem significado sagrado para os indígenas, criando a conexão com seres da floresta, invocando a coragem, força, poder e sabedoria.

Os Kenes estão presentes em pinturas corporais, desenhos nas peças em miçangas ou em algodão cru.

As pulseiras são feitas de forma artesanal, utilizando-se mini-teares em madeira.

Kene Kuin – Os desenhos da Jibóia

“Desenho verdadeiro” é o nome dado ao Kene kuin, na língua Huni Kuin, e significa o sistema de padrões gráficos deste povo indígena.
As narrativas míticas Huni Kuin contam que estes desenhos vieram da pele de Yube, a Jibóia. Os Huni Kuin consideram que as mulheres são as donas dos desenhos, e podem fazê-los utilizando técnicas como a tecelagem em algodão, arte em miçanga, cestaria, pintá-los nas peças cerâmicas e no próprio corpo utilizando pigmentos naturais, como urucum e jenipapo.

(Paulo Roberto Nunes Ferreira)