Cerimônia da Jurema Sagrada

Tenda do Suor

A Jurema Sagrada

Uma árvore sagrada, popularmente conhecida como Jurema, encontrada principalmente nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, uma das muitas espécies das quais a Acácia é o gênero, é o centro desta inesquecível experiência.

É da maceração da casca e das raízes da Jurema em água que se extrai a bebida oferecida numa espécie de cerimônia, ou um momento único em que somos colocados no colo, cuidados e acalentados pelas suas propriedades maternais mágicas.

Neste momento somos embalados por raízes que mais parecem abraços afetuosos, trazendo paz à nossa alma, acalmando os nossos sentidos, curando o nosso corpo das dores do mundo.

Seu preparo é feito todo com rezas e canções específicas, seu colo é aconchegante e seus efeitos são leves, doces e amorosos como um carinho de mãe. Por seu infinito amor a Jurema é sagrada não apenas pelos Kariris-Xocós, que promovem a cerimônia no Instituto Potala, mas por diferentes povos e culturas de todo o mundo: desde os egípcios, os hebreus, os hindus e os Incas, aos árabes e índios brasileiros, a Jurema é milenarmente venerada.

Pois sim, não se trata apenas de um grande amor, mas de um poderoso princípio ativo terapêutico, utilizado em rituais de cura e pajelanças, que desintoxica profundamente os órgãos e vísceras, aumenta a imunidade e equilibra os níveis de açúcar e gordura no sangue, liberta-nos de crenças limitantes e padrões destrutivos, melhora a qualidade de nossos sonhos e promove valiosas descobertas sobre nós mesmos e sobre a origem dos males que se instalaram em nosso corpo, ajudando-nos, com profundo e amoroso acolhimento, a nos reconectarmos com o Criador.

 

Os Cantos Sagrados e a Roda de Cura

A Cerimônia da Jurema Sagrada nos transporta ao seio da Mãe-Terra e nos acercamos da água, da terra, do fogo e do ar; resgatamos a essência da natureza entre as defumações e os cantos nativos, enquanto são honradas as energias das Direções Sagradas.

Ainda há espaço para a Roda de Cura, ao redor da qual estão os conhecimentos ancestrais que conectam a nossa conciência à essência nativa. Há os instrumentos de poder, pontes entre a nossa pequeneza e a infinitude da vida, micro e macro universos que se interpenetram como uma energia única e indissolúvel, produto da consciência mais sólida e mais madura, fruto da nossa busca, que nos empurra e nos torna mais saudáveis e mais felizes! Ahow!