Quem Somos

 

Somos todos um único instituto. Somos uma loja de produtos esotéricos, com cachimbos e tambores, com filtro dos sonhos e sino dos ventos, com mandalas, pedras e cristais, com anéis, brincos e colares, com óleos essenciais, sabonetes, aromatizadores, incensos e incensários, com camisetas, livros, imagens e amuletos. Somos compra e venda, mas doamos também. Somos grandes e pequenos, arejados, ensolarados, preparados e equipados, sobretudo para edificar. Somos salas para atendimentos e cursos. Apreciamos poesia, música e dança, cinema, cursos e palestras, discussões em grupo e cafés filosóficos, pilates e yoga, liang gong e tai chi chuan. Apreciamos o belo; principalmente a beleza que encontramos nas pessoas. Somos centenas de terapeutas, de diversas cidades. 

Somos todos afins, porque o mesmo propósito nos move: promover a saúde física, mental e emocional daqueles que nos procuram. Somos músicos e dançarinos, ainda que a dança seja a da vida; somos oraculistas, tarólogos, astrólogos, mas não queremos adivinhar o futuro, apenas semeá-lo. ​​Somos filósofos, psicólogos e pesquisadores e compreendemos inclusive que o ser humano não tem fronteiras. Somos sutis, homeopatas ou reikianos, porque é na sutileza que se contempla a alma. Temos todos um papel e somos todos escritores, pois temos todos uma história para contar; somos todos curadores, porque sabemos que as respostas estão dentro: nosso trabalho é apenas botar para fora. Somos todos buscadores, terapeutas ou não. Somos os livros da biblioteca, os filmes do acervo, a conversa  entre amigos, o debate ao pé da mesa, a palestra noite adentro, a atenção que acolhe a alma, o conselho que abre um caminho. Somos o mural que prega avisos, somos os sinos de pedra que soam, as velas que tremem luzes, as janelas que abrem para fora; somos sobretudo o refletor que acende sozinho: não só porque te espera ao portão, mas porque se ilumina com a sua presença.

Potala

Conta a lenda que Avalokiteshvara – “Aquele Que Enxerga Os Clamores Do Mundo” –, prestes a alcançar o estado de Buda, fez voto de só alcançar a iluminação se conseguisse tirar do inferno as tantas almas sofridas que lá padeciam. O Buda Amitabha, um dos cinco budas da meditação, tendo especial comprometimento com a iluminação de todos os seres, pergunta a Avalokiteshvara que castigo se infligiria caso falhasse na missão e obtém como resposta uma condenação fatal: se não cumprisse a promessa, que sua cabeça fosse então partida ao meio. Avalokiteshvara consegue, depois de esforços incessantes, esvaziar o inferno das almas como queria; mas, ao se voltar a Amitabha para requerer seu prêmio, descobre que o inferno está repleto de almas outra vez. E sua cabeça se parte, nascendo em seguida mais cabeças e mais braços, para que pudesse ver e acudir o número imenso de seres que se encontravam aprisionados no inferno.

Esta pequena história retrata o propósito do Instituto Cultural Potala, inaugurado em 26 de maio de 2.012 em Indaiatuba. Com cinco salas para atendimentos e um amplo salão para cursos e palestras, o espaço abriga não só dezenas de terapias diferentes, mas o mesmo ímpeto de Avalokiteshvara: o de estender as mãos às almas sofridas. “Sabemos que não vamos livrar todas as pessoas do inferno em que se encontram, mas para muitas queremos fazer a diferença”, diz o mestre reiki Paulo Eduardo Sartoran, manager do Instituto Cultural Potala. O nome Potala, aliás, remete ao monte situado no vale de Lhasa, no Tibete, que teria sido morada de Avalokiteshvara segundo a lenda.
Como filosofia de trabalho, o instituto propulsiona uma diversificada linhagem de terapias que vai da regressão às rodas de cura xamânicas. Ali trafegam as medicinas chinesa e ayurvédica, os sistemas de saúde mais antigos do planeta, criados há mais de 5 mil anos. “Não se deve tratar, diz o manager - também graduando em terapia ayurvédica  -, pessoas diferentes com o mesmo diagnóstico: cada qual tem a sua história de vida, seus anseios e necessidades, a sua individualidade, seu purusha: sua consciência eterna”.

Entre os terapeutas estão acupunturistas, filósofos, escritores, massoterapeutas, tarólogos, numerólogos, astrólogos, reikianos, psicoterapeutas, nutricionistas, estudiosos. As terapias corporais incluem por exemplo yoga, pilates, tai chi chuan, dança circular, dança do ventre, a dançaterapia. Entre os oráculos se podem ler as runas, búzios e diversas modalidades do tarô,  No espaço é possível jogar Mahalila – O Jogo da Vida, tocar violão, receber reiki gratuitaente, participar de uma Constelação Sistêmica Familiar ou de grupo de estudos. A extensão do salão sedia das práticas corporais aos cursos e palestras de todas magnitudes, assuntando de Programação Neurolinuística à Iniciação na Ordem de São Miguel Arcanjo, padroeiro do instituto. Oficialmente um prestador de serviços de terapia holística, o instituto também é uma loja de produtos esotéricos: oferece de livros especializados a baralhos de tarô. “É um espaço realmente diversificado, criado para provocar a ação, para revolver interiores. Nosso objetivo é movimentar as pessoas em busca de respostas. E elas estão dentro de nós; as terapias só ajudam a pôr para fora”, explica Paulo.
Seguindo o impulso de Avalokiteshvara, o instituto promove o amor ao próximo, não importa se pelo conhecimento, se pelo debate, se pela leitura, se pela projeção de filmes, se pela dança, se pela atenção ou se pelo atendimento holístico: importa é que toda forma de amor pode salvar uma vida.

Potala