Tarô Egípcio de Kier

Tarô Mitológico

O Tarô Egípcio de Kier é identificado assim por ser de autoria da Editorial Kier, uma famosa editora de livros da Argentina. Ele foi publicado na década de 1950 e todo elaborado com base na simbologia e mitologia egípcia, além de incluir símbolos astrológicos, conhecimentos cabalísticos e do mágico alfabeto alquímico.

O Tarô Egípcio da editora Kier, assim como outros tipos de tarô, é dividido em dois grupos de cartas: os Arcanos Maiores (numeradas de 1 a 22) e os Arcanos Menores (complementares aos Arcanos Maiores, numeradas de 23 a 78).

Os arcanos maiores no Tarô Egípcio de Kier representam os arquétipos e o inconsciente coletivo, que são aspectos espirituais e emocionais, mais voltados para o plano espiritual e mental; os arcanos menores são relativos aos acontecimentos diários, à nossa vida cotidiana e à vivência humana simbolizada pelo plano físico.

As cartas do Tarô Egípcio Kier seguem uma linha tradicional e são estruturadas em três partes diferentes, relativas aos planos humanos: a de cima refere-se ao plano espiritual, a do meio refere-se ao plano mental e a de baixo refere-se ao plano físico. Algumas cartas possuem essa divisão bem delimitada, outras nem tanto.

A parte de cima das cartas equivale ao plano espiritual, pois nela é representada nossa inteligência e discernimento, nossa alma e razão de ser, a essência do ser humano, que transcende o mundo físico.

A parte central equivale ao plano mental, pois nela são representadas as emoções humanas, moldadas à influência do mundo físico e a nossa personalidade, que varia conforme cada vivência.

A parte inferior equivale ao plano físico por representar coisas materiais, sentidos e desejos humanos, bem como fatos do cotidiano.

Para agendar uma leitura clique aqui